Dieta vegana e fibromialgia
Ciências da saúde

Dieta vegana pode reduzir sintomas da fibromialgia

Uma dieta vegana ou vegetariana parece reduzir os sintomas da fibromialgia e melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Essa foi a conclusão de uma revisão de estudos científicos conduzida por pesquisadores da Universidade Miguel Hernández de Elche e da Universidade de Alicante, Espanha. A revisão foi publicada na revista International Journal of Environmental Research and Public Health.

A fibromialgia é uma doença crônica de origem desconhecida que, só aqui no Brasil, atinge 2% da população. O principal sintoma é a dor musculoesquelética crônica. Outros sintomas comuns da doença são fadiga, rigidez matinal, distúrbios do sono – que, em geral, não é reparador –, dores de cabeça, ansiedade, distúrbios do humor, depressão e falta de ar. Os autores da revisão espanhola explicam que os múltiplos sintomas da doença, como a dor crônica, têm influência negativa sobre a qualidade de vida. As mulheres são as principais vítimas.

Essa doença está fortemente associada à inflamação. Como, de acordo com os pesquisadores, a alimentação vegetariana tem se mostrado um método útil para controlar a inflamação, eles resolveram investigar os possíveis benefícios desse tipo de dieta na fibromialgia. Eles concluíram que uma dieta vegetariana ou vegana parecem realmente reduzir os sintomas da fibromialgia e melhorar a qualidade de vida dos pacientes. “A composição corporal, a qualidade do sono, a depressão e a inflamação corporal melhoraram de acordo com esses padrões dietéticos”, afirmaram os pesquisadores.

Eles afirmaram ainda que as dietas vegetarianas e veganas fornecem altos níveis de nutrientes, como fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes. Estes podem reduzir os efeitos dos radicais livres – substâncias reativas (oxidantes) que podem causar danos ao organismo e inflamação. De fato, como pontuam os autores, dietas vegetarianas são ricas em antioxidantes – substâncias que protegem o corpo da ação dos radicais livres –, o que ajuda a aliviar esses sintomas da fibromialgia.

A revisão apresentou também os potenciais benefícios do crudivorismo na doença. Essa alimentação, baseada em vegetais crus, é um tipo de dieta vegana não cozida, chamada em inglês de “raw food”, que significa comida crua. A revisão mostrou que essa dieta pode aliviar os sintomas da fibromialgia. Ela mostrou melhorar a qualidade do sono, bem como reduzir a rigidez matinal e a dor crônica. Demonstrou também melhorar a vitalidade e a saúde geral e biopsicossocial – física, emocional, mental e social.

No entanto, embora os achados encontrados indiquem que essas dietas são, de fato, benéficas para controlar os sintomas da fibromialgia, os autores afirmam que esses resultados ainda não são robustos o suficiente. Portanto, para eles, mais estudos são necessários para confirmar os benefícios das dietas vegetarianas na fibromialgia.

Segundo os pesquisadores, a Associação Dietética Americana afirma que as dietas vegetarianas ou veganas são saudáveis, nutricionalmente adequadas e proporcionam benefícios à saúde na prevenção e tratamento de doenças. Uma dieta vegana, quando comparada com a onívora, reduz o peso, as dores nas articulações e melhora a qualidade de vida, entre muitos outros benefícios. No entanto, eles alertam que, na dieta vegana, pode haver ingestão inferior à recomendada de vitamina B12, vitamina D, cálcio, zinco e, às vezes, riboflavina (vitamina B2). Daí, como sempre, a necessidade de planejamento para que esse tipo de alimentação inclua todos os nutrientes necessários a uma boa saúde.


Referências bibliográficas:


Cursos Recomendados:

Livros e Ebooks:


Comentários