Por que ser vegano agora mesmo

Como ser vegano agora mesmo

Se você quer saber como ser vegano, este artigo pode ajudá-lo na transição. Você verá que não é difícil. Muita gente faz a mudança aos poucos e outros simplesmente assumem o estilo de vida do dia para a noite. As duas coisas são viáveis. A transição gradual não é necessária, mas algumas pessoas sentem necessidade de migrar passo a passo. Às vezes porque se sentem muito apegadas aos produtos de origem animal, outras vezes porque ainda não sabem bem como se alimentar apenas com produtos de origem vegetal. Algumas precisam de um tempo planejar o novo cardápio e abastecer a geladeira e o armário com produtos vegetais.

Porém, não é necessária tanta hesitação. A coisa não é tão complicada quanto pode parecer à primeira vista. Aqui, vamos lhe indicar uma sugestão de primeiros passos, mas direto para dentro do veganismo. Assim, você terá uma visão de como pelo menos iniciar, para depois ajustar as opções de alimentos às suas principais preferências e descobertas que virão. Você perceberá que é possível começar agora.

Rótulos dos produtos

A partir de agora, você terá que checar os rótulos de todos os produtos antes de adquiri-los. Principalmente os dos alimentos, mas também de outros itens de consumo. Com tempo, pode ser difícil, mas tudo é aperfeiçoado com a prática. E todo novo desafio melhora as funções cerebrais. Que tal esse bônus? Agora, se você, por algum motivo, não tem acesso ao rótulo, pode perguntar ao vendedor qual a composição do produto. Por outro lado, perguntar se o produto tem algum ingrediente de origem animal pode, às vezes, não ser muito efetivo. Isso porque muita gente não se dá conta de que ovos, leite e mel são produtos de origem animal. Parece óbvio, mas não é quando as pessoas não pensam muito nisso.

É fundamental ressaltar que quando o rótulo diz algo como “por conter leite ou ovos” ou “contém traços de leite ou ovos”, ele está se referindo à contaminação cruzada. O que isso quer dizer? Que o produto foi feito em equipamentos que também são usados na produção de outros que contém leite e/ou ovos. Como ainda é complicado evitar esse problema, os veganos ignoram a contaminação cruzada. Evitam comprar apenas os produtos cujo rótulo refere algo como “contém leite”, “contém ovos” ou contém qualquer outro produto de origem animal. Para entender melhor esse assunto, leia o artigo Tem lactose no novo Magnum Vegano?

Como ser vegano com itens curinga

Existem alguns itens que são curinga numa alimentação vegana bem nutritiva e saudável, pelo menos para os padrões da alimentação brasileira. O primeiro deles é o arroz integral, que poderá ser combinado com vários alimentos nas suas várias refeições livres de sofrimento animal. Portanto, adquira a sua cota de arroz integral. Pode ser o branco? Pode, mas se você puder optar pelo integral, será muito melhor, pois ele é imensamente mais nutritivo do que o branco. Por outro lado, o arroz pode ser substituído por itens como batata, polenta, fubá, milho ou macarrão integral. Confira o rótulo do macarrão, pois a maioria contém ovos.

E, claro, os outros curingas são as leguminosas, tipo feijão, lentilha, grão de bico e ervilha seca partida. Combinados com arroz (ou itens substitutos deste), eles formam uma nutrição super rica. É só escolher a sua leguminosa preferida e prepará-la para acompanhar o arroz. Se você gosta de todas essas, ótimo, pois assim poderá variar, o que é sempre bom. Entretanto, se você ainda não conhece as alternativas a esses alimentos do ponto de vista nutricional, procure, de verdade, mantê-las em pelo menos uma das suas refeições diárias. Isso vai proporcionar uma parte importante da sua boa nutrição, enquanto você explora todas as opções vegetais que estão ao seu alcance. Afinal, nosso objetivo com esta matéria é apresentar uma perspectiva de como ser vegano em um primeiro momento. Porém, de qualquer maneira, mantenha as leguminosas na sua alimentação vegana.

Como ser vegano? All you need is couve

Outro item curinga é a couve. Você já viu por aí aquela expressão “all you need is couve” – tudo que você precisa é couve. Está estampada em várias camisetas e outras peças que os veganos adoram. Não é força de expressão! A couve é poderosa. E, refogada, combina muito bem com as opções elencadas acima. Se possível, inclua nas refeições do cotidiano brócolis e couve-flor. Esses alimentos fornecem um aporte importante de nutrientes fundamentais como proteínas e ferro.

Outros vegetais

Vá ao mercado ou à feira e escolha todos os outros vegetais que você gosta de consumir. Afinal, existem muito mais opções do que as apontadas acima. Os curingas são muito importantes em função da abrangência de nutrientes essenciais, mas muitos outros podem tornar essas combinações ainda mais ricas e saborosas. As frutas, por exemplo, por serem ricas em vitamina C, favorecem a absorção do ferro presente nas combinações indicadas acima. Procure consumir frutas antes ou após a sua refeição.

Como deixar essa refeição básica mais interessante

Bom, a refeição baseada nos itens mencionados até aqui não é tão básica, porque ser combinada de várias maneiras. Entretanto, quem for apegado a alimentos que lembram carne, podem usar a proteína texturizada de soja (PTS), cujo custo é bem baixo. Bem temperada e misturada com farinha, ela forma bolinhos, hamburgueres e coisas do tipo. Há várias outras formas de preparar esses alimentos que remetem à carne e muitas receitas a respeito na internet.

Se preferir comprar as versões que já vem prontas, você pode gostar, por exemplo, do burguer vegetal da Sadia (Veg&Tal) e dos nuggets da mesma linha. Confira sempre os rótulos, pois nem todos os produtos dessa linha são veganos. Há também a linha “Incrível” da Seara. Essa também tem opções como hambúrguer, kibe e ainda as que imitam peixe, como, por exemplo, as iscas de peixe – que impressionam pelo sabor muito semelhante a peixe de verdade – e o bacalhau. Este último tem um preço elevado, mas rende bem. Outra excelente alternativa são os produtos da Fazenda do Futuro, como as almôndegas e a carne moída.

Como ser vegano no café da manhã

Se você gosta de comer pão no café da manhã, não precisa abrir mão dele. Há muitas opções veganas no mercado, ou seja, sem leite e sem ovos, especialmente de forma. O pão francês geralmente é vegano, pois é feito com farinha de trigo, fermento, óleo, sal e água. Por precaução, quando for comprar, pergunte se leva leite de vaca ou ovo. Se possível, prefira sempre as versões integrais. Para passar no pão, você pode usar geleias que são, em sua grande maioria, veganas. Porém, hoje em dia, já existem muitas manteigas veganas.

Uma opção é preparar a manteiga de azeite, que pode ser preparada de forma muito rápida e fácil. Coloque uma pequena porção de azeite em um frasco, misture bem com um pouco de sal à gosto e leve ao freezer. Quando o azeite estiver congelado, deixe-o na geladeira para manter a textura firme. É ótimo para passar no pão e muito saudável.

Há, no mercado, muitas opções de leites vegetais – de soja, coco, castanhas, aveia etc. Os leites de soja, em geral, têm um preço mais baixo e são bem concentrados. Com isso, pode-se, opcionalmente, diluí-los com um pouco de água, o que aumenta o rendimento. Podem ser tomados puros e, com exceção do leite de coco, ficam ótimos misturados com café. O leite de coco, assim como os demais, vai muito bem com achocolatado. No mercado, há alguns achocolatados que não contém leite de vaca. Confira o rótulo.

Outra boa opção para o café da manhã é a aveia. Especialmente aquela em flocos finos faz um delicioso mingau, com qualquer leite vegetal, no qual se pode acrescentar banana. Para quem preferir, muitos daqueles cereais matinais convencionais são veganos, pois não levam leite nem ovos. Olho no rótulo.

Lanches e sobremesas

Se puder, procure consumir também oleaginosas, isto é, castanhas, amêndoas, amendoim, nozes etc. Ricas em proteínas, gorduras do bem e energia, são muito apropriadas para a hora do lanche e, também, para o café da manhã.

Há também muitos doces veganos. A Dr. Otker tem um flan vegano delicioso, que pode ser preparado com qualquer leite vegetal. A receita é muito simples – basta misturar o leite com o pó que vem dentro da embalagem e ferver – e está descrita na embalagem. Além disso, vários doces comuns, como Paçoquita e Dadinho são veganos. Já há inclusive gelatinas veganas.

Quanto às barras de chocolate, uma das mais fáceis de encontrar é a da Chocosoy. E tem ainda os picolés veganos, como o novo Magnum Vegano (Kibon) e o Mondo (Viewganas).

Se você gosta de preparar bolos e outras sobremesas, saiba que pode usar leite vegetal e, em certos casos, água, no lugar de leite de vaca. Os ovos também não são necessários. Na internet, você encontrará receitas veganas para praticamente todos os doces que conhece.

Suplementos nutricionais

Não esqueça de tomar seu suplemento de vitamina B12 diariamente. Alguns alimentos são fortificados com essa vitamina, mas ainda não podemos garantir que isso é suficiente para atingir os níveis necessários. Pesquise, pois o preço dos suplementos é muito variável. Alguns têm um custo bem mais acessível. Tome a dose diária indicada na embalagem, que, em geral, é 10 mcg por dia.

Produtos não alimentícios

Não é possível falar em como ser vegano sem incluir as restrições quanto a produtos não alimentícios. Veganos evitam quaisquer produtos que contenhas composição ou ingredientes de origem animal, bem como aqueles que são testados em animais, o que inclui itens como cosméticos, materiais de limpeza, vestuário, entre outros. Basta checar os rótulos e as etiquetas e selecionar aqueles que não contêm esses ingredientes.

Os medicamentos, em sua maior parte, são testados em animais. Isso está mudando com o tempo. Como mostram algumas matérias aqui do Veganismo e Ciência, com os avanços tecnológicos, muitos testes já substituem o uso de animais. Entretanto, infelizmente, não se pode deixar de utilizar aqueles medicamentos necessários à saúde. Quando as pessoas recebem uma prescrição médica necessária à sua saúde, deve fazer o uso do medicamento. O mesmo ocorre com as vacinas e outros recursos terapêuticos essenciais para a manutenção da saúde.

Você estará fazendo a sua parte

O que podemos fazer a esse respeito? Estimular o crescimento do veganismo para que ele ganhe cada vez mais importância e visibilidade. Isso estimulará a indústria e as instituições de pesquisa a investir no desenvolvimento de técnicas que dispensam o uso de animais. Afinal, como ser vegano em mundo perverso em que a carnificina prevalece mesmo não sendo necessária? Mantendo a fé e compreendo que você está fazendo a sua parte e com isso contribuindo enormemente até mesmo com quem não ignora toda essa desgraça. Lembre-se sempre que você deve se alimentar com consciência e responsabilidade, porque isso vai lhe proporcionar vitalidade e saúde plena e mostrar aos outros que o veganismo é a melhor escolha para todos.

Se as dúvidas persistirem, envie-nos uma mensagem.


Leia mais:


Cursos Recomendados:

Livros e Ebooks: