Vantagens da carne cultivada
Ciências biológicas

Top 5 vantagens da carne cultivada, para a ciência

Publicação da revista Foods apresenta as top 5 vantagens da carne cultivada. O artigo é fruto de uma parceria entre pesquisadores especialistas em Ciência Alimentar, Biotecnologia e Zoologia de universidades da Coréia, China e Índia. Apesar da abundância de alimentos de origem vegetal, a carne cultivada atende à demanda imposta pelos comedores convictos de carne animal. Para os autores do artigo, a carne cultivada é uma opção ecologicamente correta, segura e mais ética que substitui o problema insustentável da criação de animais para consumo.

1 – A carne cultivada pode ser “customizada” conforme as necessidades nutricionais e preferências de sabor

Entre as top 5 vantagens da carne cultivada, os autores referem a possibilidade de customização nutricional do produto. Isso porque, durante o processo de cultivo, a carne pode ser enriquecida com nutrientes, elevando seu potencial nutricional. Com isso, o produto reduziria o problema das deficiências nutricionais comuns entre os comedores de carne, bem como a necessidade de uso de suplementos. Hoje em dia, sabe-se que quem come produtos animais frequentemente precisa tomar suplementos de cálcio, vitamina D, ferro e vitamina B12, entre outros.

Além disso, durante a produção, a carne cultivada pode receber maior quantidade de células de gordura para aprimorar seu sabor. Desta forma, os produtores tem a possibilidade de melhorar a aceitação desse produto por parte do consumidor.

2 – A carne cultivada utiliza menos recursos naturais e é mais ecologicamente correta

De acordo com os autores, as projeções sobre a emissão de gases de efeito estufa advindo das cadeias de abastecimento de gado são alarmantes. A criação de gado para produção de carne e laticínios é responsável por 65% das emissões totais de gases de efeito estufa. Destas, 45% estão na forma de metano. Além disso, estima-se que um terço dos recursos de água doce são utilizados para a pecuária. Esta atividade coloca, portanto, em risco o abastecimento de água do planeta. Logo, a possibilidade de substituição da pecuária é uma das grandes vantagens da carne cultivada.

3 – A carne cultivada atende a certas exigências religiosas

Em pesquisas realizadas com consumidores religiosos, a maioria mostrou-se aberta ao consumo de carne cultivada. Pelo fato de não envolver o abate de animais, ela obedece aos princípios de várias leis religiosas. “O Judaísmo e o Islã aprovaram unanimemente que a carne cultivada é Kosher e Halal, respectivamente, desde que as células do animal sejam colhidas de maneira ética”. Conforme as regras desses religiosos, a produção de carne deve evitar todo sofrimento desnecessário. Os autores acrescentam que, porém, “o hinduísmo e o budismo têm vários princípios de não-violência, que encorajam uma dieta vegana”.

4 – Vantagens da carne cultivada a enquadram como “alimento do futuro”

Ao contrário da produção convencional de carne, a cultivada em laboratório requer menos tempo e tem alto rendimento. Em função da possibilidade de multiplicação em laboratório, as células colhidas de um único animal podem ser suficientes para alimentar uma população.

Além do mais, na produção convencional, da criação de animais, os produtores lidam com inúmeros desafios. Alguns deles são a necessidade de espaço, transporte, cuidados veterinários, tempo gasto com a reprodução e, com isso, muito investimento financeiro. Em contraste, uma das vantagens da carne cultivada é a produção em biorreatores que ocupam muito menos espaço. Eles podem ser transportados facilmente e a colheita feita rapidamente. Por isso, podem chegar com mais facilidade a áreas de difícil acesso.

De fato, segundo os autores, a carne cultivada já tem sido usada ​​como alimento em estações científicas acampadas em oceanos e altas latitudes. Pode ainda constituir alimento para astronautas. Os autores acrescentam que os biorreatores produtores de carne cultivada podem também resolver o problema do fornecimento de alimentos em situações de emergência e manter a sobrevivência de longo prazo.

5 – A carne cultivada reduz a destruição de áreas florestais e as ameaças de extinção

A utilização de áreas florestais para pastagem e produção de combustível está diretamente ligada à criação de gado para produção de carne. Sendo assim, a carne cultivada pode reduzir o problema do esgotamento dos recursos florestais e contribuir com a sustentabilidade ambiental. Dessa maneira, também ajuda a proteger os animais ameaçados de extinção pertencentes ao seu ecossistema.

Nesse aspecto, “essa tecnologia pode evitar atividades de caça furtiva para a carne exótica de animais. Uma vez que as células podem ser cultivadas em um laboratório usando células-tronco, o cultivo de carnes exóticas também é possível. Isso reduz diretamente as ameaças de extinção de animais selvagens”. Afinal, todo tipo de carne animal pode ser produzido por meio dessa tecnologia, atendendo aos anseios das mais variadas culturas.

Leia também Carne cultivada para saciar a ânsia alucinante e Maioria trocaria carne comum por cultivada.


Referências bibliográficas:


Banner Página Livros 3

Livraria Vegana


Comentários